Estrutura residencial para pessoas idosas

 Estrutura residencial para pessoas idosas (ERPI)

 
CARACTERIZAÇÃO DA RESPOSTA SOCIAL
A estrutura residencial para  pessoas idosas, é uma resposta social desenvolvida em alojamento coletivo, de utilização temporária ou permanente, para idosos em situação de maior risco de perda de independência e/ou de autonomia.
Assim, esta resposta social contribui para a melhoria da qualidade de vida dos idosos e famílias, e assegura a satisfação de necessidades básicas, prestação de cuidados de ordem física e apoio psicossocial de modo a contribuir para o seu equilíbrio e bem-estar.
Esta valência rege-se pelo estipulado na Portaria nº 67/2012, de 21 de Março e no Decreto-Lei nº64/2007 de 14 de Março, e pelo guião técnico desta resposta social.
Serviços prestados
  • Alimentação constante da ementa;
  • Higiene/ Cuidados pessoais;
  • Alojamento;
  • Tratamento de roupa;
  • Cuidados médicos primários e de enfermagem;
  • Atividades de mobilidade e exercício físico;
  • Atividades de animação;
  • Serviços Administrativos
  • Serviço social
Objetivos
Na resposta social ERPI, são desenvolvidas atividades de apoio social a pessoas idosas através de alojamento, de utilização temporária ou permanente, fornecimento de alimentação, cuidados de saúde, higiene, conforto, fomentando o convívio e proporcionando a animação social e a ocupação dos tempos livres dos utentes.
A ERPI destina-se a pessoas com 65 anos ou mais que, por razões familiares, de dependência, ou de solidão não podem permanecer na sua casa. No entanto, também pode ser para adultos com menos de 65 anos, desde que seja uma exceção justificada. Pode ainda proporcionar alojamento em situações pontuais.
De acordo com a Portaria nº 67/2012 de 21 de Março, a ERPI apresenta os seguintes objetivos:
“a)Proporcionar serviços permanentes e adequados à problemática biopsicossocial das pessoas idosas;
  1. b) Contribuir para a estimulação de um processo de envelhecimento ativo;
  2. c) Criar condições que permitam preservar e incentivar a relação intrafamiliar;
  3. d) Potenciar a integração social. “